A Página da Educação é uma revista semestral. Propriedade da PROFEDIÇÕES, Lda.

Neste ano letivo 2017/2018

A Universidade do Porto (UP) vai bater neste ano letivo o recorde de alunos estrangeiros, ultrapassando os quatro mil estudantes. Além disso, conforme avançou fonte oficial da UP à agência Lusa, a instituição quase duplica o número de alunos inscritos “com estatuto internacional”, com cerca de 400 estudantes.

PÁGINA, 20.09.2017 10h41

  
Edição nº 209


 

Assinar a Revista

Ser Assinante da Revista 

Dê apoio à existência desta revista. 

Seja nosso assinante


a Página

Estatuto Editorial

Ficha Técnica

Lista de Colaboradores

Publicar na Revista a Página da Educação

Tabela de Publicidade


Livros Coleção aPágina

 David Rodrigues

Ana Maria Vieira / Ricardo Vieira


NOVIDADE


Carlos Alberto Mota


Organizações de Professores



Facebook

Debates e sessões de “spoken word”, um ciclo de cinema, exposições, lançamentos e apresentações de livros, encontros e conversas com escritores, teatro e música compõem o programa cultural da Feira do livro do Porto que decorre nos jardins do Palácio de Cristal, entre 1 e 17 de setembro.

PÁGINA, 29.08.2017 03h43



É um retrato da zona oriental da cidade. “Porto, última estação” é o livro de Mariana Correia Pinto, que vai ser apresentado no dia 16 de setembro, às 18 horas, na galeria Mira Forum, em Campanhã.

PÁGINA, 14.09.2017 12h14



Até 17 de setembro, os fins de semana na Praça Carlos Alberto passam-se a dançar. Sempre ao final da tarde de sábados e domingos, são vários os estilos que se ouvem junto ao Quiosque da Ramadinha.

PÁGINA, 01.09.2017 03h37



A Galeria Vertical do Silo Auto acolhe a exposição coletiva “Endless Space: Propositions for the Continuous”, que reúne sete obras. Para ver até 29 de outubro.

PÁGINA, 30.08.2017 04h33



A Escola Secundária Alexandre Herculano arranca o novo ano letivo a 13 de setembro e vai acolher cerca de 15 turmas, do 9º ao 12º anos. À agência Lusa, o diretor do estabelecimento de ensino disse existirem as condições mínimas para o regresso às aulas.

PÁGINA, 30.08.2017 03h57



O Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora e o Centro Lusíada de Investigação em Política Internacional e Segurança promovem, a 8 e 9 de setembro, o congresso internacional “Capacitar e promover os imigrantes na turma", em Évora.

PÁGINA, 22.08.2017 04h41



A Plural&Singular e o Centro Português de Fotografia lançaram a quarta edição do concurso “A Inclusão na Diversidade”, que pretende estimular a inclusão. Candidaturas até 15 de outubro.

PÁGINA, 17.08.2017 03h16



A Casa-Museu Abel Salazar (CMAS) apresenta, em colaboração com a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, a exposição “D’après Abel Salazar”, que vai estar patente até 8 de setembro na CMAS.

PÁGINA, 17.08.2017 03h38



Fundado a 1 de junho de 1917, o Conservatório do Porto está de parabéns! Os festejos do centenário vão decorrer ao longo do ano - vai ser um ano cheio de música, com atividades que vão ter lugarem vários espaços da cidade.

PÁGINA, 01.06.2017 03h49



Colaborador d'A Página da Educação foi distinguido pela mais importante organização mundial de académicos e profissionais da área da educação especial.

PÁGINA, 30.03.2017 02h24



“Voltemos à Escola” é um retrato da Escola da Ponte e um resumo da experiência do escritor na observação daquele projeto escolar.

PÁGINA, 24.05.2017 04h09

  
David Rodrigues à PÁGINA 202

"O que nos mostram os estudos transnacionais é que os bons sistemas educativos são aqueles que ao mesmo tempo são capazes de criar a excelência e também a equidade. Qualquer sistema educacional fraco ou insuficiente consegue criar excelência. É muito fácil criar bolsas de excelência. O que é realmente difícil é conseguir equidade, isto é, conseguir que as características e as circunstâncias de cada um dos alunos não originem o tratamento desigual em termos educativos." [Entrevista conduzida por Maria João Leite / Edição nº 202, série II, Inverno 2013]

PÁGINA, 08.02.2017 04h55



MIA COUTO À PÁGINA 202

“A vida, ou melhor, as vidas que disputam uma única criatura. É isso que me inspira: a infinita briga entre sermos um só e sermos plurais e cheios de potencialidades para a alteridade. Esse conflito está presente em cada pessoa, seja ela escritora ou não. Se quisermos, se tirarmos prazer disso, somos todos capazes de surpreender essa multiplicidade de histórias que há em cada um de nós. O importante não é tanto escrever, mas criar histórias. Essa capacidade faz-nos mais humanos, mais felizes, mais coletivos.”  [Mia Couto respondeu por escrito a questões colocadas por Maria João Leite - edição N.º 202, série II, inverno 2013

PÁGINA, 18.11.2014 12h24



Sérgio Niza à página 198 - outono 2012

“O Ministério da Educação e Ciência é de uma ignorância que faz medo: os avanços e recuos, o desnorte na organização das escolas, nos concursos, nas metas ideologicamente hipermarcadas… E de um revivalismo inquietante – quando nos Estados Unidos se utilizam standards, aqui estabelecem-se metas por objetivos, com taxonomias inspiradas nas de [Benjamin] Bloom, da pedagogia por objetivos, de má memória… Dizem que os professores têm liberdade metodológica, mas contam com os diretores dos agrupamentos disponíveis para uniformizarem o que os professores hão de fazer… Enquanto tivermos uma fresta para respirar liberdade, temos de usá-la na escola. E temos de ousar fazer diferente. Porque o que temos vindo a fazer é muito parecido com o que Nuno Crato quer que se faça agora – podem os professores não gostar, mas é absolutamente verdade. ”

Entrevista conduzida por António Baldaia

PÁGINA, 22.06.2016 10h29



Isabel Pires de Lima à Página 194

“Se, ao nível do ensino, não cruzarmos o incentivo ao desenvolvimento do pensamento cognitivo com o incentivo ao desenvolvimento do pensamento emocional (designadamente, através das artes e das manifestações de Cultura no sentido variado do termo), provavelmente não conseguimos ter sucesso ao nível da Educação de cidadãos capazes de reconhecerem, por exemplo, aquilo que são as narrativas éticas que ainda orientam as nossas comunidades. Estamos permanentemente a dizer que se perderam valores, que os jovens não reconhecem os valores que organizam a comunidade – ora, o reconhecimento desses valores faz-se muito através de um desenvolvimento equilibrado entre pensamento emocional e cognitivo”. [Entrevista conduzida por Maria João Leite/Edição N.º 194, série II, Outono 2011]

PÁGINA, 16.03.2016 12h03

Contactos de correio electrónico
redaccao@apagina.pt | revista@apagina.pt | livros@profedicoes.pt

69 visitantes nos últimos 20 minutos