A Página da Educação é uma revista semestral. Propriedade da PROFEDIÇÕES, Lda.

"Pedagogia Social, Mediação Intercultural e (Trans)formações”

"Pedagogia Social, Mediação Intercultural e (Trans)formações”, de Ana Maria Vieira e Ricardo Vieira, é o mais recente livro da coleção A Página, o número cinco, e foi apresentado na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria.
Entre os presentes na sessão de lançamento do livro estiveram Américo Peres, autor do prefácio, e Isabel Baptista, diretora da revista A Página da Educação.

PÁGINA, 02.06.2016 04h41

  
Edição nº 206

 

Assinar a Revista

Ser Assinante da Revista 

Dê apoio à existência desta revista. 

Seja nosso assinante


Livros

Coleção aPágina


NOVIDADES

10.80€

 David Rodrigues

Ana Maria Vieira / Ricardo Vieira



2ª EDIÇÃO

David Rodrigues


ProfEdições


Carlos Alberto Mota


2ª EDIÇÃO

Ana Maria Vieira

 

 

 


a Página

Estatuto Editorial

Ficha Técnica

Lista de Colaboradores

Publicar na Revista a Página da Educação

Tabela de Publicidade


Organizações de Professores



Facebook

Este sábado, 18 de junho, Lisboa vai ser palco de uma concentração em defesa de uma “Escola Pública de qualidade, democrática, para todos, inclusiva e gratuita”.

PÁGINA, 17.06.2016 04h31



O que é ser diferente? É bom ou mau? Este foi o tema que os alunos das escolas do Bom Sucesso e Gomes Teixeira trabalharam durante quatro meses e que deu origem a uma conferência.

PÁGINA, 22.05.2016 12h35



Assinalando os 25 anos da ACE, está a decorrer no Palácio do Bolhão [até julho] uma mostra de artes e ideias de antigos alunos da instituição, hoje profissionais nas mais diversas áreas.

PÁGINA, 21.04.2016 04h20



"Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles" retrata a rotina doméstica de uma jovem viúva da classe média. Chantal Akerman marca o arranque do ciclo No More Reality? [até 19.junho].

PÁGINA, 08.06.2016 11h17



40 horas sem parar [4 e 5 de junho], com música, exposições, dança, teatro, cinema, circo contemporâneo, workshops e muitas outras atividades para famílias.

PÁGINA, 03.06.2016 06h39



O Museu Municipal de Espinho acolhe até 4 de junho a exposição de pintura e escultura “E vós, tágides minhas”, de Norberto Nunes.

PÁGINA, 02.06.2016 05h02



Pela primeira vez no Porto, o Congresso Nacional dos Professores celebra os 50 anos da Recomendação da UNESCO/OIT, os 40 da Constituição e os 30 da Lei de Bases do Sistema Educativo.

PÁGINA, 19.04.2016 04h12



A Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica presta homenagem às cientistas portuguesas com “Mulheres na Ciência”. O livro dá rosto a mais de uma centena de investigadoras.

PÁGINA, 12.04.2016 02h12



Na exposição de fotografia O Parque em Macro [até 5 de julho de 2016] é possível ver a fauna e flora de Serralves quase à lupa, pormenores que dificilmente se conseguem reparar à vista desarmada.

PÁGINA, 15.09.2015 02h47



O anúncio foi feito pelo ministro da Educação. A ideia é que em 2020 todas as crianças com 3 anos tenham lugar numa creche ou jardim-de-infância da rede pública.

PÁGINA, 19.04.2016 01h30



Até junho, onze percursos culturais  vão dar a conhecer o “Porto Festivo”. Depois de ter destacado o Centro Histórico, a CMP dedica-se agora aos locais associados a eventos festivos.

PÁGINA, 07.04.2016 03h24

  
ARIANA COSME à página 190 - outono 2010

“Quando falo do professor como interlocutor qualificado, falo de um professor que é capaz de se ler enquanto profissional a partir da prática que desenha na sua sala. Professor qualificado é o que se organiza para responder à questão o que é que eu espero dos meus alunos?. Que antes de dizer o que vai fazer, é capaz de pensar o que espera dos alunos, o que é suposto eles aprenderem com ele, o que é suposto fazer com eles durante o mês seguinte ou a próxima hora. Quando consegue pensar desta maneira a sua relação com os alunos, o professor está disponível para pensar novas formas de se adaptar à comunicação, à rede de trabalho, a propostas de trabalho… Há professores que não abdicam de trabalhar assim. É difícil? É, mas é possível.”

Entrevista conduzida por António Baldaia

PÁGINA, 22.06.2016 10h20



Sérgio Niza à página 198 - outono 2012

“O Ministério da Educação e Ciência é de uma ignorância que faz medo: os avanços e recuos, o desnorte na organização das escolas, nos concursos, nas metas ideologicamente hipermarcadas… E de um revivalismo inquietante – quando nos Estados Unidos se utilizam standards, aqui estabelecem-se metas por objetivos, com taxonomias inspiradas nas de [Benjamin] Bloom, da pedagogia por objetivos, de má memória… Dizem que os professores têm liberdade metodológica, mas contam com os diretores dos agrupamentos disponíveis para uniformizarem o que os professores hão de fazer… Enquanto tivermos uma fresta para respirar liberdade, temos de usá-la na escola. E temos de ousar fazer diferente. Porque o que temos vindo a fazer é muito parecido com o que Nuno Crato quer que se faça agora – podem os professores não gostar, mas é absolutamente verdade. ”

Entrevista conduzida por António Baldaia

PÁGINA, 22.06.2016 10h29



ELENA THEODOROPOULOU à página 199 - inverno 2012

“O que devemos esperar da Educação é que, sendo capaz de alterar os conceitos, os valores, os referenciais, possa representar um papel transformador, um papel inovador nas sociedades. Se há uma crise de sentido, nós não respondemos a essa crise com respostas prefabricadas. Não se está a ousar colocar a questão crucial e não se ousa dizer que não se tem a resposta. Nós perdemos a nossa juventude, porque todas as respostas estavam já respondidas; mas, no meu ponto de vista, o défice não está tanto nas respostas, mas nas questões.”

Entrevista conduzida por Maria João Leite

PÁGINA, 22.06.2016 10h32



JAIME CARVALHO E SILVA à página 192 - primavera 2011

"Os tempos que correm não são fáceis, mas noutras épocas também já houve problemas graves e as pessoas conseguiram ultrapassá-los. Sozinhos pouco conseguiremos fazer. Trabalhando uns com os outros, nas escolas, nas associações (como a Associação de Professores de Matemática ou a Sociedade Portuguesa de Matemática) poderemos fazer muita coisa. O ensino da Matemática é essencial na sociedade actual, pelo que os conhecimentos que os jovens possam adquirir são essenciais a uma vida de cidadão mais completa e mais proveitosa. Os professores de Matemática precisam de estar conscientes do importantíssimo papel que desempenham na formação dos jovens."

Entrevista conduzida por Ricardo Jorge Costa


PÁGINA, 22.06.2016 10h26

Contactos de correio electrónico
redaccao@apagina.pt | revista@apagina.pt | livros@profedicoes.pt

12 visitantes nos últimos 20 minutos