Página  >  Agenda  >  Arte e literatura nos espaços MIRA

Arte e literatura nos espaços MIRA

Os espaços MIRA acolhem quatro novas inaugurações e o lançamento de um livro. A 5 de janeiro, às 18 horas, vai ser inaugurada a instalação ‘vitrine MIRA digital’, de Silvestre Pestana, no MIRA | artes performativas. Sete painéis leds ocupam a entrada do espaço, apresentando apresenta em display um poema expandido.

A 6 de janeiro, às 16 horas, é inaugurada a exposição ‘O mundo de Lauren ou a substância do tempo’, da autoria de Lauren Maganete, no MIRA Forum. “As fotografias de Lauren Maganete são predominantemente a preto e branco, mas o mundo que nos traz está muito para além da banda que medeia os dois opostos. Se quiséssemos definir o tema central da sua obra, diríamos que é o mundo, porque as suas fotografias passam-nos o deslumbramento que a leva a fixar momentos efémeros, invisíveis aos olhares comuns”, refere Manuela Matos Monteiro, que dirige os espaços MIRA.

No mesmo dia, à mesma hora, é inaugurada no Espaço MIRA, a exposição coletiva ‘a ampliação do mundo’. A mostra reúne trabalhos de pintura, escultura, vídeo e instalação, da autoria de Afonso Loureiro, Diogo Martins, Elisabete Sousa, João Melo e Michel Bragança. A exposição vai estar patete até 17 de fevereiro.

Também a 6 de janeiro, às 16 horas, no MIRA Forum vai ser inaugurada a exposição ‘A Questão da Paisagem | A Questão do Vazio’, de Augusto Lemos e de Conceição Magalhães, que vai estar patente até 17 de fevereiro. Augusto Lemos vai apresentar ‘A Questão da Paisagem’ (o artista tem registado paisagens com diversas câmaras, desde as analógicas a smartphones) e Conceição Magalhães vai apresentar ‘A Questão do Vazio’ (que explora a fronteira entre a vida e a morte, capturando nuances sensoriais e um espaço quase etéreo).

Ainda no dia 6 de janeiro, às 19 horas, vai ser lançado o livro ‘O Livro dos Nomes de Angola’, de Aristóteles Kandimba (2023), que vai apresentar a obra, com Manuel L. D. Santos, num encontro com moderação de Meirinho Mendes. O livro apresenta cerca de 3.000 nomes angolanos de origem Bantu e seus significados, simbolismos, origem etimológica, celebridades, personalidades da história e da mitologia.

©Elisabete Sousa

A©Elisabete Sousa

rte e literatura nos espaços MIRA


  
Ficha do Artigo

 
Imprimir Abrir como PDF

Partilhar nas redes sociais:

|


Publicidade


Voltar ao Topo