Página  >  Edição IMPRESSA

A Página da Educação é uma revista semestral. Propriedade da PROFEDIÇÕES, Lda.

Edição em papel

004. Editorial

Ana Brito Jorge

 

006. Relação Educador-educando: património da humanidade?

Amélia Lopes, Anabela Sousa, Helena Magalhães e Rui Trindade

 

016. Notícia preocupante para a profissão docente

O ‘saber lidar’ promana de uma experiência pessoal intimamente enriquecedora. Sem essa inteligência prática, o professor encontra-se desarmado perante a imprevisibilidade que constitui o seu quotidiano nos dias de hoje.

Manuel Matos

 

018. Em memória de um professor

O professor do Estado Novo é, talvez mais do que os de hoje, uma referência marcante no percurso de vida de cada um. Hoje, não têm a mesma centralidade, poder e autoridade dos professores da velha escola.

Carlos Cardoso

 

020. Existem astronautas?

É primordial o acesso ao conhecimento. Perante a proliferação de fontes, a autoridade instrutiva e de transposição do professor e da instituição escolar, também ela um filtro, perde significação.

Pascal Paulus

 

022.Escola e Democracia: esboço para um debate à esquerda

As medidas de política curricular e pedagógica que o atual governo promoveu são medidas que se saúdam porque contribuem para que as escolas se afirmem como espaços tendencialmente mais democráticos.

Ariana Cosme e Rui Trindade

 

024. A escola de professores, ou nós por cá todos bem

A Escola será das comunidades educativas e dos que nela trabalham, nomeadamente, dos professores que tiverem práticas pedagógicas e educacionais amplas, abrangentes e abertas.

José Rafael Tormenta

 

026. Um renovado interesse pela Pedagogia Social

Publicações recentes em língua inglesa trouxeram à tona um conjunto de discrepâncias terminológicas e de imprecisões científicas que vieram pôr a nu a ausência de um corpo teórico unificado.

José Luís Gonçalves

 

028. Extensão universitária e transferência de conhecimento

É vulgar ouvirmos que as funções da Universidade são como um tripé, assente no ensino, na investigação e na extensão. Na verdade, nenhuma destas dimensões pode funcionar isoladamente.

Ricardo Vieira e Ana Vieira

 

030. Pedagogia universitária: horizontes de sentido

Exigência e relação humana são condições de uma boa relação pedagógica e de uma verdadeira pedagogia universitária, que, na sua diversidade, unidade e pluralidade, tem de estar de acordo com a natureza da própria instituição.

Emanuel Oliveira Medeiros

 

032. En campaña electoral

No me gusta el ataque indiscriminado a la clase política. Porque es profundamente antidemocrático. Ni todos los políticos son malos, ni todos son iguales. Igual de malos, se entiende.

Miguel Santos Guerra

 

034. Contra todo esto… Educación

Hagamos de la educación uno de los tesoros más preciados a descubrir en ese aprender a aprender, hacer, ser y a convivir. Los cuatro pilares a los que confió la educación su futuro, cuando todavía parecía creíble que la ‘educación para todos’ era un sueño realizable.

José Antonio Caride

 

036. FÁTIMA CARNEIRO

“O ensino é muito desafiante, porque eu acho que a melhor maneira de aprender é ter de ensinar. Ao nível em que nós estamos, na pós-graduação, ensinar obriga a uma atualização permanente.

E quem faz ensino, para mim, tem uma formação mais completa do que quem não faz. Explicar aos outros é uma coisa que exige amadurecimento, identificação do que é prioritário, no fundo, é preciso saber muito para se conseguir transmitir mensagens simples e não palestras fastidiosas ou demasiado longas.”

Entrevista conduzida por Maria João Leite e Ana Alvim (fotos)

 

042.Direitos Humanos têm 70 anos

“A educação deve visar à plena expansão da personalidade humana e ao reforço dos direitos do ser humano e das liberdades fundamentais e deve favorecer a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e todos os grupos raciais ou religiosos”.

David Rodrigues

 

044. Direitos inalienáveis e dignidade humana

Que contributos pode dar a educação à promoção da trilogia inalienável de direitos: civis; políticos; sociais, económicos e culturais?

Rosanna Barros

 

046.O mundo invisível do fascismo e a verdade desesperada

Não é necessário incluir no programa de governo de um candidato o extermínio, a defesa do genocídio e do ódio. A apologia à barbárie pode ser realizada de forma subliminar – no caso brasileiro, contudo, foi feita de forma direta e explícita.

Ivonaldo Leite

 

048. Tempos de retrocesso

A educação é de qualidade quando possibilita aos estudantes examinar e compreender distintos pontos de vista, bem como avaliar, escolher e ajudar a construir um projeto de sociedade valioso para todos.

Petronilha Gonçalves e Silva

 

050. O planeta e os sistemas educativos

A escassez de trabalhos sobre o que se poderia imaginar ser um tópico perfeito para análise é, em si, consequência da divisão disciplinar do trabalho académico.

Roger Dale

 

052. Educar para o futuro

Quem, em tempo de chuva e vento forte não se refugiou num centro comercial e optou por ficar em casa para ler e ver televisão, há de ter ficado mais apreensivo do que era costume. Por vários motivos.

Leonel Cosme

 

054. O legado de Diógenes

Se tiver de emigrar, direi na fronteira: “dou a palavra de honra que amanhã venho mostrar o passaporte”. Não vão acreditar e terei de continuar por aqui.

Luís Vendeirinho

 

056. Utopia, o ser humano e a prevalência da realidade

A maior utopia nasceu com a Revolução Francesa – a ideia de que todos os homens são livres e iguais em direitos seria seguida pelo marxismo e por socialistas utópicos vários.

Carlos Mota

 

058. A caminho da RI4

A Quarta Revolução Industrial anda por aí a pairar, seguindo o costume de sempre que um salto tecnológico relevante é vislumbrado.

Mas o que é então a RI4?

Francisco Silva

  

060. WWW: potencialidades, perigos e consequências

O mundo da internet acarretou mudanças significativas no nosso funcionamento individual e coletivo. A aldeia global que Marshall McLuhan propunha é hoje uma realidade, ainda que carregada de contradições, paradoxos e equívocos.

Simão Mata


062. TPC aos três anos… Avô, não há net!

É crescente a tendência, que começa muito cedo, para a desestruturação social que conduz à secundarização do mundo da criança, levando-a a passar horas a mais em um mundo que não é o seu.

André Escórcio


064. Crisálidas de Sísifo

Portefólio de Olga Santos


074. A xenofobia como barreira à mobilidade estudantil

Portugal está, de facto, preparado para dar as boas-vindas aos brasileiros que tenderão a chegar pós-eleições 2018, com a provável configuração de um quadro político mais radicalmente antidemocrático?

Rovênia Amorim Borges


076. Imprensa pedagógica em debate

Ora diga lá... José Hernández Díaz

“É imprescindível que os professores se dotem de instrumentos de comunicação pedagógicos, de debate político, de debate sobre novidades metodológicas, de difusão de novidades técnicas, de intercâmbio, de experiências.”

Reportagem de Maria João Leite


080. Agnès Varda: Ainda estou viva. Ainda sou curiosa.

Agnès Varda fez 90 anos. Para comemorar, deu uma grande festa e um mergulho no Atlântico. O The Guardian chama-lhe a avó da Nouvelle Vague.

Paulo Teixeira de Sousa


082. Escritaria: a literatura invade Penafiel

Todos os anos, durante uma semana, a literatura lusófona invade a cidade, que se veste de palavras e imagens para homenagear um escritor em destaque. Este ano foi o angolano Pepetela.

Reportagem de Maria João Leite


084. ALTINO DO TOJAL (1939-2018)

O autor de «Os Putos» faleceu no dia 15 de julho, em vésperas de completar 79 anos. Quis ser sempre escritor, embora tenha trabalhado como jornalista no Jornal de Notícias, O Século e O Comércio do Porto. Até falar com Luís Souta, em 2001, nunca tinha dado uma entrevista – nesse ano, a PÁGINA publicou uma versão reduzida dessa “longuíssima conversa”, que agora se recupera, revista e aumentada, para evocar Altino Martins da Costa, natural de Braga.

Entrevista de Luís Souta


092. O nosso Shakespeare

Porquê se comemorou em Cascais o 450º aniversário do bardo inglês, perguntar-se-ão alguns, talvez mais virados para conceções de índole chauvinista e provinciana? Há pelo menos cinco razões.

Salvato Teles de Menezes

 

094. La Bohème

Jacques Plante/Charles Aznavour (adaptado)

Alberto Péssimo (ilustração)


  
Revista nº 212


  

Contactos de correio electrónico
redaccao@apagina.pt | revista@apagina.pt | livros@profedicoes.pt

207 visitantes nos últimos 20 minutos