Página  >  Arquivo de Edições Anteriores  >  N.º 132  >  Valha-nos Deus - Um galdério a Presidente da República!

Valha-nos Deus - Um galdério a Presidente da República!

Sejamos francos. A nossa República está em pantanas. Se ainda se lembram, começou tudo com o País de tanga. A tanga que o Governo nos deu foi tão intensa que o povo caiu em desânimo e entrou em depressão. Depois foi uma sucessão de loucuras. O pára, desorganiza e corta pôs a República na miséria. O Governo desatou a perseguir os trabalhadores. Foi uma sucessão de ondas qual delas a mais encrespada. As ondas seguiram-se umas às outras, foi o déficit, a tanga, a moderna, a pedofilia, depois o Iraque, a recessão, o código de trabalho, outra vez a pedofilia, a crise. Salteavam-nos em azeite nos caldeirões do Inferno enquanto nos prometiam a brisa do Paraíso no ano das próximas eleições legislativas.
Faltava a cereja no bolo.
Então não é que de repente, os meios de comunicação social, se põem a fazer conjecturas, sobre a eleição do senhor Santana Lopes para a Presidência da República? Abrem-se-me os olhos e os ouvidos, escancara-se-me a boca de espanto e não acredito!
É verdade sim senhor. Nas Repúblicas a sério, aparece um ou outro maduro, desses que adoram o seu umbigo, a aproveitar as eleições para fazer uma fosquinha. Mas ninguém os leva a sério e deixam-nos brincar às eleições. Mas na nossa República não. Aqui levam-se os malandrecos a sério! Valha-nos Deus!
Ingenuamente eu pensava que o Presidente da República era para levar a sério. Imaginava que fosse uma pessoa e um símbolo a respeitar. Alguém que pelo seu passado e pela sua maneira de ser podia ser um símbolo da Nação. Um representante de todo o povo. Mas o Santana Lopes? Valha-nos Deus!
Não é que eu pense que o senhor Santana Lopes não tem o direito de fazer pela vida. Ter tem, e farta-se de fazer pela vida. É mesmo um fura-vidas. Um malandreco cheio de prosápia. Um fraldisqueiro. Um fala-barato. Um tipo cheio de lábia, de patoá. Conversa fiada é coisa que não lhe falta. Mas? santo Deus! O que é que o senhor Santana Lopes fez na vida que possa servir de referência a alguém? Conhecem-lhe alguma profissão? Alguma actividade de mérito? Para além de dançar e de catrapiscar umas pequenas que sabe o homem fazer? Que pensa o homem fazer na presidência? Beliscar as secretárias?
Se é este o caminho, digamos adeus à República. Só nos faltava um peralvilho, um galdério na Presidência.


  
Ficha do Artigo
Imprimir Abrir como PDF

Edição:

N.º 132
Ano 13, Março 2004

Autoria:

José Paulo Serralheiro
Professor e Jornalista. Director do Jornal a Página da Educação.
José Paulo Serralheiro
Professor e Jornalista. Director do Jornal a Página da Educação.

Partilhar nas redes sociais:

|


Publicidade


Voltar ao Topo